Tempo de acesso é que nem papel higiênico: termina sempre quando você mais prescisa.


Nome comprido

terça-feira, 10/08/2010 23:05
Categoria: Outros

Um bravo indiozinho, filho do chefe Grande Cabeça Negra e Grossa, aproximou-se do pai numa manhã de radioso Sol e perguntou-lhe:

— Meu pai, por que é que os nomes dos índios são tão compridos, e não são como os dos caras-pálidas que se chamam Zé, Mané ou João?

— Meu Filho, os nossos nomes são um símbolo da beleza natural de tudo o que acontece e representam a riqueza da nossa cultura na sua forma de expressão.

— Como assim?

— Por exemplo, a tua irmã chama-se Lua Cheia no Grande Lago porque foi feita numa noite em que eu e a tua mãe andávamos a passear à beira dele numa noite de luar, nos abraçamos, beijamos e o amor gerou a vida dela.

— Humm…

— Olha, o teu irmão chama-se Grande Corcel das Pradarias Imensas porque um dia vinha com a tua mãe a regressar à aldeia pela pradaria, fora estava muito sol, resolvemos descansar, abraçamo-nos, beijamo-nos e ele foi gerado.

— Ah!

— O que queres tu saber mais, meu pequeno Camisinha de Merda Furada Vinda da China?

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Digg
  • del.icio.us
  • email
  • Add to favorites
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas6 Estrelas7 Estrelas8 Estrelas (2 votos, média: 4,00 de 8).

 
Switch to mobile version