Lenhador modesto

Num diminuto lugarejo da Suécia havia um lenhador extraordinário: baixinho, miudinho, magrinho, mas diziam que conseguia derrubar dez árvores em dez minutos. Sua fama, como era de se esperar, espalhou-se pelo mundo afora.

A rede de televisão CNN resolve mandar um repórter para averiguar e entrevistá-lo:

– Quer dizer que você derruba dez árvores em dez minutos? – pergunta o repórter.

– As vezes mais. – responde o anão.

– E qual foi o seu primeiro emprego?

– Deserto do Saara!

– Peraí, no Saara não tem floresta alguma!

– HOJE!

Freira anã

Os sete anões chegam ao Vaticano, vão falar com o Papa, e Dunga pergunta se no Vaticano tinha alguma freira anã. O Papa calmamente responde:

– Não, não existe freira anã no Vaticano.

Os outros seis anões começam a rir baixinho. Dunga, meio sem jeito, volta a perguntar:

– Mas, Santo Papa, existe freira anã na Itália, não existe?

– Não, Dunga, não existe freira anã na Itália.

Os outros seis começam a rir, mais alto.

– Mas, Santo Papa, na Europa tem freira anã, não tem?

– Não, Dunga, não tem freira anã na Europa.

Os outros seis já estão às gargalhadas. Dunga continua:

– Mas, Santo Papa, deve existir freira anã na África ou na América, não é?

O Papa já perdendo a paciência responde:

– Não, Dunga, não existe freira anã na África, nem na América, nem na Ásia, nem na Oceania. Não existe freira anã em lugar nenhum!

Os outros anões, quase explodindo de tanto gargalhar, começam a pular e a gritar:

– O Dunga comeu um pingüim! O Dunga comeu um pingüim! O Dunga comeu um
pingüim!