60 anos de casados

Um casal está comemorando o 60º aniversário de casamento, com um jantar em um pequeno restaurante no campo. O marido se inclina e pergunta para a esposa:

– Meu bem, você se lembra da nossa primeira vez, há sessenta anos atrás? Nós fomos para a parte de trás do restaurante, você se apoiou na cerca e…

– Eu lembro muito bem. – responde ela.

– O que você acha de repetirmos agora, em louvor aos velhos tempos?

– Oh, você é um sátiro, mas parece uma boa ideia!

Um policial sentado ao lado ouve a conversa e pensa:

– Essa eu não posso perder, tenho que ver os coroas fazendo sexo, lá na cerca.

Eles saem e caminham até lá, se apoiando um ao outro, ajudados por bengalas.

Chegam à cerca, a velha senhora ergue a saia, tira a calcinha, o coroa baixa as calças. Ela se agarra na cerca e começam a fazer sexo. De repente, explodem no sexo mais furioso que o policial já tinha visto na vida. Repetem dezenas de vezes. Ela grita, ele agarra os quadris dela, furiosamente. O sexo mais atlético possível e imaginável. Finalmente caem exaustos no chão e depois de mais de meia hora deitados se recuperando, os dois se levantam, apanham as roupas espalhadas e se vestem.

O policial, ainda perplexo, toma coragem, se aproxima do casal e pergunta:

– Vocês devem ter tido uma vida fantástica! Como vocês conseguem? Qual é o segredo dessa performance ideal?

O velhinho com os cabelos assanhados e cara de estar em outro mundo responde :

– Sei lá…… Sessenta anos atrás essa cerca não era elétrica!

O velho e o auditor da receita federal

A Receita Federal decide fazer auditoria na declaração do velhinho e convoca-o para o escritório. O auditor não ficou surpreso quando o velhinho apareceu com seu advogado.

O auditor disse:

– Bem, senhor, você tem um estilo de vida extravagante e sem emprego o tempo todo. Como você pode explicar, dizendo que ganha dinheiro no jogo. A Receita Federal não considera crível.

O velhinho diz:

– Eu sou um Grande jogador, e eu posso provar isso. Que tal uma demonstração? – disse o velhinho.

O auditor pensa por um momento e disse:

– Ok! Vá em frente.

O velhinho diz:

– Aposto com você mil reais que posso morder meu próprio olho.

O auditor pensa um instante e diz:

– Tá apostado.

O velhinho tira o olho de vidro e morde. O queixo do auditor cai.

O velhinho diz:

– Agora, eu aposto dois mil Reais que eu posso morder meu outro olho.

Agora, o auditor, sabendo que o velhinho não é cego, topa a aposta. O velhinho tira a dentadura e morde seu olho bom!

O auditor atordoado agora percebe que ele apostou e perdeu duas vezes e tendo o advogado do velhinho como testemunha. Ele começa a ficar nervoso.

O velhinho diz:

– Quer ir para o dobro ou nada? Aposto seis mil reais que eu posso ficar em um lado da sua mesa e fazer xixi na lixeira do outro lado sem deixar cair pingo sobre a sua mesa!

O auditor, duas vezes queimado, é cauteloso agora, mas ele olha com atenção e decide que não há nenhuma possibilidade dele fazer aquilo sem respingar sobre a mesa, então ele topa de novo.

O velhinho fica ao lado da mesa e abre sua calça, mas apesar de forçar poderosamente, ele não consegue fazer o fluxo do mijo alcançar a lixeira do outro lado. Então, ele praticamente urina em toda mesa do auditor.

O auditor dá saltos de alegria, percebendo que ele acabou de fazer de uma grande perda em uma grande vitória. Mas, o advogado do velhinho estava aos gemidos e coloca sua cabeça em suas mãos.

O auditor pergunta:

– Você está bem?

O advogado do velhinho responde:

– Não! Esta manhã, quando meu avô me disse que tinha sido convocado para uma auditoria, ele apostou comigo vinte e cinco mil reais que ele poderia vir aqui e fazer xixi em sua mesa e que você ficaria feliz com isso!

Não adianta, idade é experiência!