Papagaio abusado

Tinha um papagaio muito abusado que ficava na porta da barbearia, na mesma rua onde Selminha morava. Sempre que a Selminha passava por lá, ele chamava:

– Oi, puta! Tudo bem, puta?

Ela, já farta, um certo dia queixou-se ao dono da barbearia, que resolveu dar um castigo no papagaio… Pintou o sacana todo de preto. No dia seguinte Selminha passou na porta e o papagaio, todo pintado de preto não disse nada… passou mais dois dias, e o bicho quieto…

Ela começou a rir e perguntou:

– E aí, mané… Não vai dizer nada hoje?

E o papagaio, tranquilamente, cheio de marra, respondeu:

– Quando estou de smoking não falo com puta!

Papagaio batizado

Uma freira sempre quis ter um animalzinho. Um dia ela conseguiu comprar um papagaio e deixou no apartamento de sua amiga. Ela deixou o papagaio perto da janela, de onde ele observa tudo que acontece na rua.

Um belo dia começa a chover e um cara grita lá da rua:

– Vixi, que água do cacete.

Algum tempo depois uma égua parou na frente de um carro, o dono do carro furioso disse:

– Mete o dedo no cú dessa égua que ela se levanta num instante.

A freira tinha enchido tanto o padre, que o padre resolveu batizar o papagaio. Na cerimônia, quando o padre jogou a água benta, o papagaio falou:

– Vixi, que água do cacete.

Quando o papagaio falou isso a freira desmaiou, e o papagaio soltou:

– Mete o dedo no cú dessa égua que ela se levanta num instante!